A poesia das Valsas… 14/05

capa22

Koblenz – Quinto Dia

Quando o relógio marcou 10h00, já estávamos no do Rhein-Mosel-Halle, local onde está rolando as masterclass e alguns concertos do Festival. Quando nos deparamos com o saguão de entrada ficamos feito criança no meio de tanta coisa para violão: cordas, apoio, afinador, capotraste e principalmente partitura (nossa como tem partitura), tem partitura para qualquer formação com violão.

Recuperados do choque dos utensílios fomos ao master do Roberto Aussel, o salão onde rola as aulas são fabulosas, além da brilhante

DSCF6484

 acústica o local propicia uma linda vista: ao lado o rio Reno, na frente, morros ornamentados pelo tempo de primavera. (veja na foto a lateral da sala de masterclass) 

Depois da pausa para o almoço, resolvemos não voltar no período vespertino do Festival, pois o fuso horário causara muito cansaço e nós não paramos nem um minuto para ficar quieto esperando o corpo se recuperar, pois como diz o Rafah, “Dormir em Euro é mais caro”.

concerto

Com o corpo mais acordado, mas não totalmente, fomos ao concerto de Marcin Dylla. Chegamos bem mais rápido do que o planejado, tempo suficiente para apreciarmos o palácio, seu salão suntuoso, tuas paredes imensas, janelas majestosas, a noite estava vestida com trajes de luxo. Fiquei encantado, nunca tinha entrando e observado um palácio e sua magnitude.  Mas a noite tinha muito mais a nos presentear. Se o palácio era majestoso o concerto foi divino. Marcin Dylla esbanjou suavidade… Chego a acreditar que tudo não passo de um vislumbre, parecia um sonho. Um concerto impecável, o palácio foi um mero suporte para música reinar nesta noite.

Agora tudo parecia mais poético, até a lua despontou na noite de Koblenz. Dormimos muito bem e acima de nós: Um céu que mais parecia uma pintura de Van Gogh guardando a sonoridade das Valsas Poéticas, de Enrique Granados (ultima peça do concerto).

 DSC06226

Koblenz

Advertisements

7 thoughts on “A poesia das Valsas… 14/05

  1. Me encanto com cada texto que leio, vocês conseguem me transpor a esta viagem, pois transcrevem nos relatos a suavidade da música e magia da arte envolvendo a todos.

  2. “E a coisa mais divina
    Que há no mundo
    É viver cada segundo
    Como nunca mais…” – Vinicius de Moraes.

    …É que dá pra sentir vcs assim… rs

  3. Valsando pelas poesias, descobrindo palácios e castelos como pano de fundo pra essa experiência unica, Aqui estamos orgulhosos!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s